Famosos que morreram e deixaram dívidas para seus herdeiros

Nesta publicação, falamos sobre dois famosos que deixaram dívidas para os herdeiros: Clodovil Hernandes e Gal Costa. Confira todos os detalhes abaixo. 

Quatorze anos após a morte do icônico estilista e apresentador Clodovil Hernandes, a milionária herança que ele deixou ainda é motivo de disputa judicial. A fortuna, estimada em R$ 4,2 milhões em 2013, encolheu drasticamente para cerca de R$ 1 milhão em 2024, segundo informações atualizadas do inventário.

Diversos fatores contribuíram para o derretimento do patrimônio de Clodovil. Entre os principais estão:

  • Processos e Honorários Advocatícios: Uma série de processos judiciais, incluindo disputas por bens e direitos autorais, consumiram parte significativa dos recursos da herança. Além disso, os honorários advocatícios para conduzir o inventário e as ações judiciais também representaram um alto custo.
  • Impostos e Taxas: O pagamento de impostos e taxas sobre a herança também impactou negativamente o valor final disponível.
  • Manutenção de Bens: A preservação dos bens do espólio, como imóveis e objetos de valor, também gerou despesas consideráveis ao longo dos anos.

Além dos custos gerais do inventário, Clodovil também deixou dívidas com algumas personalidades famosas. A ex-prefeita de São Paulo, Martha Suplicy, recebeu R$ 264,8 mil, enquanto o apresentador Ronaldo Esper foi ressarcido em R$ 10,2 mil. Uma dívida de R$ 20,5 mil com o também apresentador Ronaldo Esper foi negociada e quitada.

A história da herança de Clodovil Hernandes serve como um lembrete dos desafios e complexidades que podem envolver a sucessão de bens após a morte, especialmente quando não há um testamento claro e herdeiros diretos. O caso também destaca a importância de se planejar o futuro financeiro e organizar os bens pessoais para evitar conflitos e garantir a distribuição justa dos recursos entre os herdeiros legítimos.

História de Gal Costa e suas dívidas para herdeiros

A morte da icônica cantora Gal Costa, em novembro de 2022, não apenas abalou o mundo da música brasileira como também revelou um lado menos conhecido da artista: suas lutas contra dívidas milionárias. Em meio à disputa judicial entre o filho, Gabriel Burgos, e a viúva e ex-empresária, Wilma Petrillo, detalhes das dificuldades financeiras de Gal começam a vir à tona, lançando uma sombra sobre seu legado.

Acúmulo de débitos da cantora: 

  • Débitos da GMC Produções Artísticas: Empresa que a cantora mantinha em sociedade com Wilma Petrillo, a GMC acumulava mais de R$ 700 mil em dívidas.
  • Impostos: A artista também tinha pendências com a União e a Prefeitura de São Paulo, que totalizavam R$ 188.401,79 e R$ 549.861,79, respectivamente.
  • Funcionários domésticos: Gal também tinha dívidas com ex-funcionários domésticos, incluindo salários atrasados e direitos trabalhistas não pagos.
  • Escola do filho adotivo: A cantora também estava em atraso com as mensalidades da escola do filho adotivo, Gabriel.
  • Restaurantes: Gal também acumulava dívidas com restaurantes, possivelmente relacionadas a despesas com refeições e eventos.

As revelações sobre as dívidas milionárias de Gal Costa geraram questionamentos sobre a gestão financeira da artista e o papel de Wilma Petrillo na administração de seus bens. Alguns fãs e admiradores da cantora se mostraram surpresos e decepcionados com a situação, enquanto outros defendem a memória de Gal, destacando sua importância para a música brasileira e sua generosidade com pessoas próximas.

O caso das dívidas de Gal Costa ainda está em andamento, com a disputa judicial entre o filho e a viúva da cantora em curso. É possível que novas informações sobre as finanças da artista venham à tona nos próximos meses, ajudando a esclarecer os motivos que levaram ao acúmulo de débitos e as responsabilidades pelas mesmas.