Correios podem aumentar a tarifa de seus serviços em até 4,93%

Os serviços postais prestados pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos sofrerão um reajuste de 4,39% a partir do dia 3 de abril, conforme anunciado em publicação no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (25). Este aumento, aprovado pelo Ministério das Comunicações, reflete a correção da inflação com base na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2023.

Entenda como vai funcionar o aumento da taxa dos Correios a partir de agora

Segundo a portaria ministerial, diversos serviços terão seus valores atualizados para compensar a inflação do último ano. Por exemplo, a tarifa para envio de cartas e cartões postais nacionais de até 20 gramas subirá de R$2,45 para R$2,55, enquanto o envio máximo, de 450g a 500g, passará de R$13,35 para R$13,80.

Além disso, o franqueamento autorizado de cartas (FAC) simples também sofrerá ajustes, com valores variando de R$2,27 a R$12,17, dependendo do peso. Já o telegrama nacional terá valores diferenciados conforme a modalidade escolhida: R$10,74 via internet, R$12,96 por telefone e R$15,56 para contratação pré-paga nas agências.

Para os envios internacionais, as tarifas serão cobradas por grupos de países, divididos por região. Os valores variaram de R$4,30 a R$239,60, dependendo do peso em gramas e do grupo do país para envio. Os grupos contemplam desde países da América do Sul até regiões da Europa, Ásia, Oriente Médio, África e Oceania.

Apesar da magnitude do reajuste, os Correios asseguram que tais ajustes são necessários para garantir a sustentabilidade financeira da empresa e a manutenção da qualidade dos serviços prestados à população brasileira. De fato, o custo operacional dos Correios tem sido impactado por diversos fatores, incluindo aumento dos custos com pessoal, logística e infraestrutura.

Vale ressaltar que esse aumento se justifica pela variação do IPCA, descontado o Fator de Produtividade, indicando uma preocupação em alinhar os custos operacionais com a inflação do período. Esse reajuste, portanto, é parte de um esforço contínuo para garantir a viabilidade econômica da empresa e sua capacidade de continuar prestando serviços essenciais à população.

No entanto, mesmo com esse reajuste, é importante destacar que a empresa enfrenta desafios significativos, incluindo a concorrência de serviços de entrega privados e a necessidade de modernização de suas operações para se manter relevante em um mercado em constante evolução. Os Correios estão empenhados em implementar medidas de eficiência operacional e inovação tecnológica para enfrentar esses desafios e garantir sua posição no mercado de entregas.